14.11.08

A HISTÓRIA DE ORFEU E EURIDICE

ORFEU O "PAI DO CANTO"

"PAI DO CANTO" foi o título que lhe deram. Era considerado músico lendário e poeta. Diz a lenda que recebeu uma lira de Apolo e que as deusas das artes, as Musas, eram suas mestras. Com a música que elas lhe ensinaram foi capaz de encantar os homens e os animais, dar movimento às árvores e até, segundo a lenda, mover rochedos!!!
Sua esposa, Euridíce, morreu, e ele suplicou ao seu Deus padroeiro que lhe desse capacidade para a libertar do reino de Plutão. Sua prece foi ouvida com uma condição: "não deveria olhar para ela enquanto não estivesse completamente fora do mundo subterrâneo". Com a sua música conseguiu maravilhas. Venceu Plutão e as Fúrias que são criaturas selvagens que guardam as portas desse mundo escuro de morte. Porém aconteceu o que não devia ter acontecido. À vista de Orfeu, Euridíce ficou louca de amor e não percebia porque Orfeu não olhava para ela!!! Pediu-lhe que a olhasse e ele... não resistiu...! Euridíce, ainda não estava completamente liberta da escuridão, e o olhar do seu bem amado, por ter desobedecido à condição acordada com o seu Deus padroeiro, empurrou-a de novo e para sempre para o mundo de Plutão. Esta história de amor bela mas funesta serviu de tema a muitas óperas especialmente as de
Gluck e Monteverdi.

5 comentários:

Mariazita disse...

Querida Milai
A estas horas já mal vejo as teclas.
Venho só dar-te um beijinho de boa noite.
Amanhã venho ler-te e comentar.
Dorme bem, sonha com os anjos.
Beijinhos
Mariazita

Mara disse...

Querida Mariazita,
Também te desejo uma noite santa e que acordes feliz e cheia de forças para enfrentares mais um dia. Tenho andado pelo teu blog, vi belíssimas fotos que tiraste nas tuas férias. Tenho de lá voltar para ver mais em pormenor. Também vi que estás a escrever um livro "ANITA" e que vais apresentando por capítulos o que acho uma ideia muito especial. És mesmo a autora dessa história? Se és tenho que te dar os parabéns.

BEIJINHOS

Mara disse...

Milai

Mariazita disse...

Ontem não tive forças para comentar...
Menina, os deuses daquele tempo eram terríveis! Maus, vingativos, pobre de quem lhes desagradasse ou desobedecesse!
Não, eu não queria ter vivido naquele tempo, nem que fosse deusa :)))
A ópera, baseada nesta história de amor, é lindíssima (sou suspeita porque gosto muito de ópera...).
Vou continuar.
Beijinhos
Mariazita

Mara disse...

Querida Mariazita,

Não gostas mais do eu. Cantei num coro de Ópera aqui do Porto, durante 15 anos. Era primeiro Soprano. Tive que deixar pois os ensaios eram à noite e eu já estava exausta. Mas tenho muitas saudades. Mato-as quando pouso o carro na garagem e, aí, dou asas ao meu canto.A acústica da garagem é espantosa. Ninguém me ouve a não ser o meu neto Sebastião que também tem uma voz encantadora.
Quando ouço os CARMINA BURANA de Carl Orff toda eu tremo por dentro. Foi a ópera que mais cantei. Que saudades.
Beijos
Milai