16.7.09

AMORES PROIBIDOS








Nascer
Ser
Existir

Viver...

Nascer
Mas não ser
Não existir
Não viver!

Porquê?

Ser amado
Porquê?
E não poder amar!

Sem amor
Não é viver
É sofrer
É dor!

Viver sem amor
Não é viver.
É sofrer
É esquecer!

Fechar os olhos
Não ver
Ouvir só
Gritos e choros.

Adeus vida

Adeus ser.
Amor negado
Coração despedaçado!

Adelaide



2 comentários:

Maria Letra disse...

Poema lindo ao amor proibido, ao amor que não teve o previlégio de ser admitido. Quem o não teve? É duro de vencer, é um tormento. Quantas vezes (muitíssimas) nem sequer o tempo consegue apagar.
Parabéns, Mara, por teres tido a coragem de fazer este poema.
Beijinhos.
Maria Letra

Fernanda Ferreira disse...

Querida amiga Milai,

Conseguiste por-me novamente a chorar. Sabes bem do que falo e não me podia ter tocado mais fundo.

Sentimento comum a muitos de nós, os que descobrem a sua alma gémea em condições adversas...triste realidade.

Bejinhos, bella