7.3.10

O CICLO DO TEMPO












Os tempos estão mudando
Lenta, lentamente.
Eram quatro estações,
Reduziram e são duas!
Chuvas e sóis.
Chuvas que alagam as terras,
As casas, rios que transbordam
E perdem a sua pacatez suave e brilhante
Que o mar já não acolhe em seu leito
Porque se perderam pelos campos sem fim.
Culturas destruídas,
Casas abandonadas,
Olhos que choram de dor,
Tudo perdido!
Depois, a natureza verde
Vai rompendo.
Hastes que crescem longas, tenras
E apontam ao céu.
Parece que a esperança renasce.
Porém,
O sol vem devagarinho,
Com pezinhos de lã,
E vai aquecendo...aquecendo...
Lá se vai a esperança de novo.
Calor demasiado,
Tudo queimado,
Beleza verde que morre,
Flores que murcham,
Chuva que volta,
Rios que transbordam...

Mara

***

2 comentários:

Maria Letra disse...

ligação à Natureza. que eu amo tanto, está bem demonstrada aqui neste lindo poema. Bem hajas por a respeitares tanto.

MARA disse...

Mizita querida,

Que bom que gostaste do meu poema. Fico muito feliz.

Eu respeiro a Natureza, eu amo-a, eu choro se lhe fazem mal...

Pode ser que depois da limpeza ela se sinta mais feliz!

Beijinhos
Milai