5.5.10

BELAS FLORES


















Imagem da net


Como podemos passar por esta maravilha sem pensar uma vez mais como é bela a Natureza.! Olhar as belezas que nos rodeiam, todos os dias de nossas vidas, é uma forma de amenizar um pouco os sofrimentos que nos atacam de quando em vez. Alguém disse, e é bem verdade: a vida sem sofrimento não é vida. A vida é aquele mistério em que tantas vezes penso e que tanto desejaria compreender, aprofundar, e conhecer o outro lado que virá um dia a ser a minha nova morada, a morada de todos nós.
Estas flores azuis parecem querer voar ao céu tal a intensidade que se denota na força com que apontam ao infinito. Parece que a terra em que criaram raízes não as deixam fugir porque as amam e porque lhes deram vida

***

15 comentários:

Manuel disse...

Poético e com muito bucolismo este belo pensamento.
As flores são lindas e as suas palavras ainda as embelezaram mais.
Passo por aqui muitas vezes, mas o tempo limita um pouco aquilo que devia fazer.
Parabéns.

Adelaide disse...

Obrigada por seu tão agradável comentário. Gostei.
Para mim o tempo também é um problema. Tenho blogs a mais, assim como telemóveis e não só. Uma mania que vive comigo.

Bom dim de semana

as-nunes disse...

Bela imagem. Tal como a própria Natureza que parcelarmente retrata.

Como não fazer coro com a exaltação da Natureza até ao sublime!

Deus é a Natureza. Não tem princípio nem há-de ter fim. Explicações racionais quem as pode encontrar?

Um beijinho
António

Ana Martins disse...

Boa noite Mara,
peço perdão pela ausência aqui, mas tive uns dias que quase não andei por cá.
Problemas de saúde em familiares têm-me mantido um pouco afastada.
E ainda por cima o meu pc agora parece que quer avariar, faz tanto barulho que parece um tractor. Neste momento estou no do meu filho, mas porque ele já foi dormir.

Quanto ao seu texto, devo dizer que penso e sinto assim como a Mara e perante a beleza das flores, sinto um fascínio pelos mistérios da natureza que não sei sequer explicar.

Olhe Mara, abri um blogue novo onde coloco os meus trabalhos, se quiser e puder dê lá um pulinho e diga de sua justiça.

Beijinhos,
Ana Martins

Adelaide disse...

Querido Amigo António,

Muito belas as palavras do seu comentário.
"Deus é a Natureza, sem princípio nem fim". Frase bela, muito bela.

Obrigada
Beijos
Mara / Adelaide

Adelaide disse...

Querida Ana,

Este seu comentário já está respondido no seu lindo novo blog, para onde viajarei o mais possível com o coração aos pulos.

Beijinhos
Mara / Adelaide

Luis disse...

Minha Boa Amiga Mara,
O Azul é para mim uma das minhas cores preferidas e por isso adorei as suas flores e o seu post.
Tenho sentido a sua falta e espero que consiga arranjar um tempinho para voltar a visitar-nos.
Um beijinho muito amigo,
Luís

Adelaide disse...

Querido Amigo Luis,
Obrigada pelo seu comentário, fico contente sempre que me visita.
Fiz a tolice de fazer uma série de blogs, e agora resta-me muito pouco tempo para ir aos Sempre Jovens e a outros. No entanto, nunca deixo de lá ir para comentar os poemas da querida Ana Martins que muito admiro não só como artista mas também como mulher especial que ela é. O mesmo digo do Luís e, de vez em quando vou à Tulha tendo já lá deixado comentários.
Sempre que tiver um tempinho dou lá um salto. Combinado. Tudo bem com os netinhos?
Um bom fim de semana
Beijos
Mara

Mariazita disse...

Olá
Como no próximo domingo, dia 9 de Maio, se celebra o Dia das Mães no Brasil, resolvi fazer uma pequena homenagem às minha amigas brasileiras, publicando, no SÁBADO, um post no meu blog OLHAI OS LÍRIOS DO MACUÁ

Lá encontrará um pequenino presente que fiz para todas as minhas amigas.
Espero me dê o prazer de ir buscá-lo e colocar na sua sidebar.
Até lá, obrigada.
Beijinhos
Mariazita

PS - Obrigada por seus votos de melhoras. Felizmente já me sinto bem melhor.
Voltarei para comentar logo que possível.

Manuel disse...

A natureza continua linda a precisar das suas palavras.

Adelaide disse...

Querida Mariazita,
Já fui ao seu blog buscar o seu presentinho. Já está no meu blog e acho que fica lá muito bem.
Como vai da sua constipação?
Já está boa concerteza!
Fico à espera da sua muito agradável visita.

Beijinhos
Adelaide

O Profeta disse...

Hoje ofereci as cores da minha paleta
A uma amiga na sua dor
Ouvi seu choro ao meu ouvido
No fatalismo do desamor

Hoje o sono acordou-me
A nostalgia agitou suas asas cinzentas
Esqueci no acordar o ultimo abraço
E contei as nuvens que eram tantas


Doce beijo

Adelaide disse...

Amigo Manuel,
Todos os dias falo com as minhas BELAS FlORES. Pergunto-lhes se se sentem na minha companhia e elas estremecem, o que que dizer sim. Fico muito contente pergunto-lhes se têm sede. Voltam a estremecer e logo vou buscar as nossas taças para brindarmos com água/champanhe porque sei que elas adoram.
Depois agradeço ao Criador pelo lindo presente que me deu: a minha querida Natureza.

Adelaide disse...

Querido Amigo Profeta.

O seu poema é lindo. É muito verdade o que diz: o fatalismo leva sempre ao desamor.E, viver uma vida com desamor causa muita dor. A vida torna-se cinzenta como dia sem sol.

Grande abraço
Adelaide

Adelaide disse...

Caro Manuel,

Emenda: ......se se sentem 'bem' na minha companhia....

Sorry.