17.1.10

OS PASARINHOS E O AMOR














Era uma árvore
cheia de ninhos.
Chilreavam felizes
os passarinhos...

Cada ninho uma família.
A mãe cuidava da casa,
o pai apressado voava
à procura d'alimento.

Filhos de boca aberta,
nervosos, ansiosos
pela chegada do pai...
"Ai vem, chega pra lá".
Foi grande a correria,
Foi grande a alegria...

A vida assim correndo,
os passarinhos crescendo
já queriam encontrar
ansiosos o seu par,
para seu ninho fazer
Com os pauzinhos caídos
secos e partidos
espalhados pelo chão...

Foi então que dois passarinhos
pousados no mesmo galho
trocaram olhinhos
encostaram asas, quentinhos,
beijando seus biquinhos...
Cena de encantar.

Tudo corria tão bem! Mas...
certo dia, houve choro
e não alegria, porque
noutro galho pousado,
o noivo ousado,
estava encostado
noutro passarinho,
trocando um novo beijinho.

Infidelidade...
mesmo entre passarinhos.
Assim morre o amor primeiro
e o ninho quase pronto
cai desfeito no carreiro.

***

4 comentários:

Maria Letra disse...

'Ganda' traição!!!
Desta vez, mesmo continuando num tema que te é peculiar por envolver a Natureza que admiras em cada momento, escreveste sobre a traição, uma pitada dessa realidade amarga que prolifera entre humanos e animais. Custa sempre muito conviver com ela.
Um abraço.

MARA disse...

Querida Mizita,

É verdade. Vê lá tudo como até os passarinhos, que são tão fofos e que aparentam tanta bondade, excepto as águias assassinas e outros que tais, como podem também praticar a traição!

A vida é triste!

Beijinhos
Milai

Graça Paz disse...

estou "estupidifacta"!!que talento!

MARA disse...

Malandreca, brincalhona. Ainda não viste tudo. Ah Ah Ah

Beijocas
mum