15.9.09

AS PEDRAS DA MINHA CALÇADA














Respirei fundo,
Fechei os olhos com força,
Olhei dentro de mim.
Precisava meditar!

Assim fiz, porque,
Algo bem dentro
Me pedia para andar...
Eram as pedras da minha calçada!

Sobre elas caminhei devagarinho,
Já de olhos abertos para as admirar,
Lentamente, com amor e cautela,
Não as queria magoar!

Muito belas, mas sofridas,
As pedras da calçada!
Quando pesadas passadas
As deixavam doridas.

Só as passadas leves
De crianças puras.
As calcavam alegres
Com suas diabruras.

Sentei-me e olhei-as com ternura!
Belas as pedrinhas quadradas
Ou arredondadas, de leve vegetação
Rodeadas, para lhes darem frescura!


Adelaide 2011

4 comentários:

Christi... disse...

Lindo demais, encantada com esse poema..

bjs, amei

lindo dia pra ti

Chris

Mara disse...

Qurida Amiga Chris,

Obrigada por tão belo comentário.

Um grande abraço

Mara

Graça Paz disse...

um presente para ti*

http://www.youtube.com/watch?v=kj3CHx3TDzw&feature=fvw

Maria Letra disse...

Que lindíssima poesia.
Ainda tu dizias que não eras capaz, amiguinha Mara! Que faria se fosses!!!
Mil beijinhos.
Maria Letra