24.8.09

DECEPÇÕES



Imagem
da
Web



Desolada estou. Decepções
Meu ser atacaram!
Mas mais, meu pobre coração!
Tristes sentimentos,
Angústias, desgostos,
Alegrias perdidas,
Lágrimas vertidas..

Como retirar
De dentro de mim
Tudo o que sinto?
Tristeza sem fim!
Até meu coração chora!
Mas nada posso fazer.
Entrar em mim, acarinhá-lo!
Como?

É grande o meu desprazer!
Esquecer tristezas de vida.
Nossa herança sentida,
Sinto-me desfalecer!
Mas não, não vai acontecer.
Sempre foi meu lema,
vencer, vencer, vencer!

****

6 comentários:

Maria Letra disse...

Como podia eu, minha querida amiga, passar por aqui indiferente a este belo poema, denunciador dum estado de alma tão em profundo desalento? Sei bem o que é passar por momentos destes, embora eu tenha uma vantagem muito grande que é a de limitar estes momentos ao tempo de duração da construção do poema. Depois disso, ergo a cabeço, olho em redor e penso: A Vida é bela e não merece que o não reconheça. "P'rá frente é que é o caminho!"
Um abraço muito amigo.
Maria Letra

Fernanda disse...

Querida Milai,

Sempre linda a tua poesia.
Parabéns, bella.

Beijo

Vitor Chuva disse...

Olá Milai!

Na vida há problemas para os quais difícil é encontrar uma boa solução, e com esta verdade não é fácil lidar - sentimo-nos como que impotentes perante os mesmos, não estar nas nossas mãos poder resolvê-los.
Gosto mais da parte final do poema - afinal, o único caminho a seguir!

Um abraço.

Vitor Chuva

Mara disse...

Amigo Vitor,
Vencer é a melhor escolha. Vencer os obstáculos da vida e saborear a victória. Não há vida sem problemas.

Obrigada por mais um comentário cheio de simpatia.

Abraço
Milai

Ana Martins disse...

Amiguinha Mara,
um poema triste, de desalento, mas que termina com a garra de uma guerreira!

Beijinhos,
Ana Martins

Mara disse...

Querida Ana,

Os poemas demonstram quase sempre o estado de espírito do poeta. Ou tristeza ou alegria. Quando a tristeza impera o poema é uma grande ajuda.

Beijinhos
Mara